Fundação Sara
Dia Nacional do Retinoblastoma mobiliza Belo Horizonte
photo
17 de setembro de 2013

Abraço Escuro reunirá pessoas hoje às 19h na Praça da Liberdade

Fundação Sara Albuquerque Costa, que assiste crianças e adolescentes com câncer, fez parceria com a TUCCA – Associação para Crianças e Adolescentes com Câncer, e promove o Abraço Escuro, hoje, a partir das 19h, na Praça da Liberdade, em Belo Horizonte.
A ação faz parte da programação do Dia Nacional do Retinoblastoma, câncer no olho, comemorado amanhã, 18 de setembro, cujo objetivo é de conscientizar a população sobre o problema e mudar a realidade da doença. “No Brasil, são cerca de 400 novas ocorrências de retinoblastoma por ano, sendo que 40% delas são de origem hereditária. Estimativas apontam que 50% dos casos no país ainda são identificados tardiamente, reduzindo a probabilidade de cura”, divulga a TUCCA.
Como foi com nosso pequeno Arthur Fernandes Maurício Vieira, de 6 anos. Devido ao retinoblastoma, nosso pequenino guerreiro perdeu a visão e todos os dias vive uma história de superação. A mãe, Daniela Fernandes, também enfrentou a mesma doença, foi diagnosticada com um ano e meio de idade. Desde que Arthur nasceu, sempre observava o filho, quando aos 11 meses percebeu uma mancha em seu olho e ao levar ao oftalmologista, foi diagnosticado o retinoblastoma no olho direito. Arthur foi tratado em Belo Horizonte, ficou durante seis meses fazendo quimioterapia. Em dezembro de 2008, quase um ano depois do diagnóstico, foi necessário retirar o olho direito. E em 2009 foi diagnosticada a doença no olho esquerdo. Como o tumor cresceu muito rápido, não foi possível evitar a retirada deste olho também. Graças a toda essa luta, nosso pequeno e talentoso Arthur foi declarado curado em 2011 e realiza controle oncológico, a cada 3 meses, na Santa Casa de Belo Horizonte.
O tratamento das crianças com retinoblastoma é multidisciplinar, envolvendo oftalmologista especialista em oncologia ocular, oncologista pediátrico, pediatra, anestesista, dentre outros, e requer aparelhagem específica. O Dr. Fábio Borges Nogueira, oftalmologista especialista em oncologia ocular, tratava pelo SUS essas crianças em Belo Horizonte mas, devido a uma série de dificuldades encontradas, teve que interromper esse atendimento. Por isso, hoje todo o tratamento oftalmológico dessas crianças tem que ser feito em São Paulo. O Dr. Fábio, entretanto, não desistiu de lutar pela criação de um serviço modelo em nossa cidade para a volta do atendimento pelo SUS, com a aparelhagem mais moderna que existe e uma equipe de profissionais qualificados, o que trará enormes benefícios para as crianças com retinoblastoma e suas respectivas famílias. Ele diz que espera anunciar, em breve, a realização desse sonho.

Como diagnosticar
Para evitar o agravamento da doença e garantir um diagnóstico precoce, os especialistas defendem que em todas as consultas regulares do pediatra deva ser feito o chamado teste do olhinho ou do reflexo vermelho, realizado com um aparelho conhecido como oftalmoscópio. “Se o pediatra notar um brilho anormal ou uma mancha branca na pupila, é necessário encaminhar, imediatamente, o paciente ao oftalmologista, que terá condições de fazer o diagnóstico preciso”, divulga a TUCCA. Caso o resultado indique a presença do tumor, a orientação é procurar um oncologista o quanto antes.
Outra maneira possível é que os pais podem fotografar seus filhos com flash e observar uma possível mancha brilhante no olho. Se isso ocorrer, também devem agendar uma visita a um oftalmologista para um exame clínico.