Celebrar a cura é celebrar a força da união

Foram momentos mágicos. Essa foi a definição que o Presidente da Fundação Sara, Álvaro Gaspar Costa deu para a festa de Celebração de Cura. A frase usada pelo fundador da entidade é carregada de surpresa e de sentimentalismo. Ele entende o sofrimento de enfrentar o câncer infantil, mas transformou a dor em aprendizado e superação. “Olhando a festa por uma fresta, dando uma espiada no que está acontecendo, observando aquele ambiente cheio de pessoas lindas, adolescentes brincando e dançando, é como se tivesse, naquele pequeno espaço, descido um pedacinho do céu, cheio de anjos em festa”, destacou Álvaro.
Os anjinhos citados por Álvaro aproveitaram bem a festa e dançaram muito ao som da banda Alfa, até quase duas horas da manhã. O ritmo variado fez com que o salão de dança não ficasse vazio um minuto. Os trezentos convidados eram só alegria em comemoração à vida de sessenta cinco pessoas.

Um dos convidados mais emocionados era Romário Rodrigues de 30 anos. Não é só o nome de vitorioso que ele carrega. A história de superação do jovem começou aos 16 anos quando foi diagnosticado com um tumor no intestino. O tratamento durou um ano e quatro meses e por causa da necessidade ele passou a morar na sede da Fundação. Com o fim do tratamento continuou morando na casa e hoje é contratado como auxiliar administrativo da entidade. Para Romário a festa serviu para lembrar a trajetória de luta e comemorar a vitória. “Achei ótimo. Foi bom ver o tanto de curados. Eu nem sabia que tinha tanta gente com histórias de superação parecidas com a minha. Foi bom também para rever pessoas que não via há muito tempo. Além disso, a banda também foi ótima, mesmo não sabendo dançar deu para aproveitar bem”, ressaltou Romário.
Se a festa foi um momento de reaproximação, foi possível ver isso no encontro emocionado da médica oncologista Príscila Bernadina com ex-pacientes que moraram na casa. Príscila foi responsável pelos atendimentos dos primeiros assistidos da Fundação Sara e encarou o desafio do novo junto ao lado da equipe da entidade. Emocionada a médica fez questão de tirar fotos com os curados que participaram da festa. “Quero registar esse momento junto às pessoas que eu ajudei no tratamento. Essa pode ser a única vez que eu consigo reunir tantos guerreiros queridos”, destacou a médica. Quem também participou com alegria foi Eliana Cavacami, oncologista pediatra responsável pela a área clínica da Fundação Sara. Eliana também fez questão de registrar em fotos os momentos mais emocionantes da celebração.

Emoção também para os voluntários que vieram de fora. Matheus Foureaux mora em Belo Horizonte e é responsável pelas atualizações das redes sociais da Fundação. Ele esteve em Montes Claros pela segunda vez para participar da Celebração dos Curados. Ele resumiu os momentos da festa, como os mais felizes do ano. “A definição mais correta de felicidade, para mim, é de que felicidade é um momento da sua vida que você torce para que não acabe. E essa Festa dos Curados foi exatamente isso: eu não queria que aquilo acabasse nunca”, disse Matheus em uma mensagem enviada aos funcionários da Fundação.
Na Fundação Sara o sonho de viver é maior e a Celebração de Cura mostrou que o caminho para a realização é sempre a solidariedade e o amor.

Compartilhe:

Data da publicação 27 de novembro de 2013

Festa dos curados - conheça mais histórias
Anterior

Tradição no campo e na solidariedade
Proximo



Fique por dentro das novidades: