Pablo Muryllo Henrique Santos

Entrei na Fundação Sara em dezembro de 2003 com diagnóstico de leucemia. Na época eu tinha 12 anos, cheguei a ficar 33 dias internado em hospitais, mas sempre contei com o apoio dos meus pais, Maria Aparecida Conceição Santos e Sebastião Enrique dos Santos. Passei por dois anos de tratamento intensivo, fiz seis meses de quimioterapia e dez sessões de radioterapia. Depois passei a fazer revisões de dois em dois meses, que, com o tempo, passaram a ser anuais.

Hoje tenho 18 anos, mas não foi fácil chegar à maioridade. Durante a luta contra o câncer, vivi momentos de escuridão – literalmente. Fiquei sem enxergar durante oito meses, devido a complicações do tratamento. Mas, mesmo sem visão, não me entreguei. Continuei freqüentando a escola e consegui passar de ano. Após sete anos do diagnóstico inicial, agora tenho plena saúde, voltei a enxergar e pretendo fazer o curso de tecnólogo em Agrimensura no IFET, em Inconfidentes/MG, ou Agronomia no CEFET de Januária/MG. O meu primeiro passo será o ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio) este ano.

Boa sorte para ele. Que ninguém duvide de mais essa vitória.




Mais Depoimentos



  • Ana Paula Pedrosa - jornalista

    Ana Paula Pedrosa - jornalista

    Nos últimos anos, tenho aprendido muito na Fundação Sara Albuquerque Costa, conversando com voluntários, pais, médicos e, principalmente, aprendendo....


  • Juliany Nunes - Psicóloga

    Juliany Nunes - Psicóloga

    Quando me propus a trabalhar na Fundação Sara, acreditava que seria uma experiência significativa “ajudar” as famílias. No entanto, descobri....